Logotipo Created with Sketch.

Ana Cláudia Santos

Confira aqui mais informações sobre o trabalho.

Educadora Nota 10

2018

 (Gustavo Andrade/Nova Escola)

Diálogo aberto com Guimarães Rosa

Ela despertou o interesse dos alunos pela obra literária do autor, considerado difícil e os fez recontar histórias usando a técnica de stop motion

Educadora Nota 10: Ana Cláudia Santos
EE Padre Paulo Santo Antônio do Monte, MG
Língua Portuguesa
Ensino Médio

Projeto: O ser(tão) de cada um
Número de alunos: 80
Duração do trabalho: 3 meses
Resumo: Guimarães Rosa é considerado por muitos um escritor que escreve “textos difíceis de ler”. Mas Ana Claudia criou uma sequência didática para alunos de 3º ano do ensino médio que derruba essa crença. Ela não só despertou nos alunos o gosto por ler e interpretar os contos do autor mineiro, como também acompanhou a turma na descoberta do potencial transformador e humanizador que a literatura tem. Os jovens estudaram os aspectos estilísticos dos textos roseanos, criaram produções orais, refletiram sobre a relação entre a obra e a realidade e trabalharam com stop motion. O impacto do projeto fica evidente nas cartas que a turma foi desafiada a escrever para Guimarães, tal como o escritor Manuel Bandeira o fez.
Por que o trabalho foi premiado?
“A proposta de Ana Cláudia envolve práticas de linguagem que promovem uma interação ativa entre o estudante e a obra de um autor consagrado da literatura brasileira. Tem como foco a fruição estética de obras literárias, fazendo com que o aluno não apenas conheça, mas sinta o potencial transformador e humanizador da experiência com a literatura. Além disso, o projeto promove a articulação da linguagem verbal com outras linguagens, como a fotografia e o stop motion. E traz para o centro os conhecimentos e o entorno dos alunos, que estabelecem diálogo entre as obras estudadas e a realidade. Nas cartas endereçadas a Guimarães Rosa que os jovens escrevem é possível identificar o grau de envolvimento, troca e mergulho nos contos do escritor mineiro. As animações também são muito bem cuidadas e revelam as diferentes leituras que os alunos fizeram.” Claudio Bazzoni é professor de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira e Coordenador do Ensino Médio da Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Colégio Santa Cruz, em São Paulo, e selecionador do Prêmio Educador Nota 10